Quais as técnicas mais usadas para estudos em concursos públicos.
Home / Carreiras / Conheça as técnicas de estudo mais usadas entre os aprovados

Conheça as técnicas de estudo mais usadas entre os aprovados

Conheça as técnicas de estudos mais usadas entre os aprovados em concursos.

Olá, concurseiro/a, que acompanha o Blog do Estúdio Aulas, tudo bem? Espero que sim. Hoje vamos falar para você que fica muito perdido sobre como estudar corretamente, ou acha que a maneira que está estudando não está sendo satisfatória. Quais as técnicas mais usadas para estudos em concursos públicos.

Pensando nisso, resolvemos fazer esse breve artigo que apresenta as técnicas de estudo mais comuns entre os aprovados. Vamos considerar que você já tenha em mente um edital pelo qual se baseia quando estuda e que já tenha seu material de estudo certo, seja livro, pdf , videoaula. Vamos lá?!

Técnica Pomodoro
Esta técnica é para o candidato que tem dificuldade em passar longo tempo concentrado. Ela consiste em pequenos blocos de concentração, mas de forma intensa. Desse modo, você desenvolve a agilidade em seu raciocínio e ajuda seu cérebro a manter o foco naquela disciplina. Vamos exemplificar. Hoje você vai estudar informática, já separou o material e o tópico que vai estudar. Com um cronômetro ao lado, você vai marcar 25 minutos, assim que o cronômetro disparar, você vai fazer um intervalo de 5 minutos. Não importa se você estava entendendo e não quer parar o fluxo do raciocínio, esse intervalo é importante para que seu cérebro fique ativo, mas não desgastado com o assunto.

Você vai ver que o tempo vai parecer voar e que aquela matéria não cansou você. Se você nesse tempo de 25 minutos não conseguiu terminar o tópico que estava estudando, não há problema nisso. Após o intervalo de 5 minutos, você pode continuar de onde parou, repetindo o processo. O ideal é que você mescle matérias para dar ao seu cérebro um comando de que na próxima vez que você sentar e se concentrar será algo novo e assim ele se manter ativo e ágil.

Essa técnica Pomodoro foi desenvolvida por um universitário italiano, no final dos anos 80, que buscava uma maneira de aumentar sua produtividade nos estudos.

Ciclos de Estudo
Outra técnica muito recomendada por candidatos que já obtiveram a aprovação foi fazer um ciclo de estudos. Está técnica consiste em estudar várias disciplinas ao mesmo tempo, de maneira a deixar sempre o conteúdo fixado na sua memória recente.

Basicamente, se você já sabe para qual concurso estudar é hora de separar as matérias. Talvez você se assuste ao colocá-las em uma papel. Afinal, em média, um candidato estuda cerca de 12 disciplinas por concurso, a sorte é que as matérias se repetem e o que você vê de disciplina nova costuma ser muito pouco.

Para esta técnica é necessário saber quantas horas de estudos por dia você tem para que consiga fazer um rodizio entre as matérias sem esquecer de nenhuma. Seja realista, cada candidato tem uma rotina diferente por diversos motivos, portanto, não tente copiar o ciclo de ninguém que você viu nas redes sociais.

Se seu tempo de estudo consiste em 4 horas líquidas por dia, lide com isso. Coloque nesse tempo uma quantidade de matérias que possam ser estudadas. Naturalmente, não há como colocar 12 matérias, mas quatro, podem. O tempo para cada disciplina pode variar de acordo com a dificuldade que você tenha nela. Ou seja, não adianta ficar se deleitando em direito constitucional se já sabe de cor o artigo 5º da CF. Em contrapartida, ainda não sabe a diferença entre “vírus e malawares” , na informática. 

Ao final de uma semana, avalie se você conseguiu cumprir com seu planejamento e onde você precisa acrescentar mais tempo, vá se reformulando sempre que necessário, não há mal nisso.

Muitos candidatos que tentam essa técnica ficam com a sensação de que estão sempre longe do fim da matéria, pois que estudam todas ao mesmo tempo. Aqui vai uma sugestão: se você tem 12 matérias, divida-as em dois blocos. Cada bloco vai se tornar um mini ciclo. E a lógica é a mesma.

A pergunta frequente: o que eu priorizo na divisão? Na dúvida, mescle matérias da parte básica com a parte específica. Por exemplo, coloque: português, informática e administrativo referentes à parte de conhecimentos básicos do seu edital e acrescente Administração Geral, Ética e AFO , todas da parte específica. Assim, se um edital sair, você estará bem perto de fechá-lo e a pontuar bem na prova.

Mapa Mental
A técnica de estudar por mapa mental caiu na graça dos concurseiros. Mas na verdade, o mapa mental, se trata de uma técnica de revisão, e não de estudos propriamente dita. Para usá-lo, você precisa ter visto a teoria do assunto X, pois, sem o estudo da teoria, você não vai conseguir fazer as associações a que se propõe o mapa mental. Há muitos aplicativos disponibilizados gratuitamente que fazem mapa mental: X-Mind, Mind Node, Mind Meister, etc., ou você também pode fazer manualmente seu mapa mental.

Ele consiste em um conceito central que a partir dele outras ramificações vão surgindo, como em uma cadeia de elementos químicos. A ideia do mapa mental é ter de forma visual todo conteúdo estudado em poucas imagens ou palavras, e as conexões ali feitas vão trazendo à memória todo o assunto estudado.

Técnica de Fichamento ou Resumo
Estas duas são as mais usadas entre os candidatos. Ao ler um tópico ou assistir a uma aula, presencial ou vídeo, você escreve em fichas (elas já vêm prontas na papelaria), o que é mais importante daquilo que foi visto. Como se fossem pequenas frases ou parágrafos.

O resumo é basicamente a mesma coisa, mas feito à mão ou no computador. O bom dessas duas técnicas é que você se envolve com a preparação do seu material, do conteúdo estudado e fixa melhor, além de que esse material vai ser a sua base de revisão para as provas. 

Marcações em PDF’s ou livros
Para fazer marcações de qualidade recomenda-se a leitura de uma página, por exemplo, por duas vezes pelo menos, para você ter a certeza do que ali é importante. Se ao findar a página estiver entre 50% a 70% marcado, há alguns problemas ali, ou você não entendeu o que é importante e por isso grifou tudo, ou sua base de teoria ainda precisa se refinar mais para entender melhor os conceitos. Se você marcar tudo, na hora de revisar vai ser como ler tudo outra vez, e no final você não economizou tempo algum, pelo contrário.

Gravar aulas com sua voz
Essa técnica ajuda quem passa longos períodos do dia no trânsito. Em vez de ouvir as sete melhores da rádio Y, ouça a lei seca ou seus resumos gravados. No primeiro momento, você vai achar sua voz a coisa mais horrível do mundo, mas vai se acostumar, esse estranhamento é normal. Ouvir suas gravações dia após dia vai ajudar a fixar o conteúdo. Pensa o seguinte: se você aprende aqueles jingles de campanhas eleitorais quando o carro de som passa na rua, você também vai aprender, ouvindo suas gravações no celular.

Por hoje é só, concurseiro/a. Compartilhe esse artigo com algum amigo que precisa de uma ajudinha nos estudos e saber com qual técnica ele consegue estudar melhor.

Por Soraia Cantanhede

Confira também

destaques da semana

Veja os concursos que foram destaques da semana

Veja os concursos que foram destaques da semana A semana dos concursos foi bastante movimentada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *