As 5 Definitivas Maneiras De Como Estudar Leis Para Concurso

Olá, Futuro Servidor ( eu ouvi um amém!?? srsr ), espero que seus estudos estejam melhores a cada dia e você mais decidido a se tornar um servidor público federal em 2018. Hoje o Blog do Estúdio Aulas vai mostrar Como estudar Leis para Concurso.

A gente sabe que quando se trata de lei seca, legislação, regimento interno, você fica perdido e pouco concentrado, afinal, são artigos infinitos e todos parecem se repetir, ou parecem tão confusos, com aquelas nomenclaturas jurídicas, ou pouco usuais no nosso cotidiano.

Foi pensando nessa dificuldade que muitos concurseiros têm em como estudar leis para concursos que nós resolvemos lhe dar uma ajudinha. Vamos listar as 5 dicas de como estudar essa parte do seu edital, para que você vença esse medo e procrastinação de uma vez por todas.

Como estudar Leis para concurso

1- Leia o Edital!

Sim, a frase é imperativa. Muitos candidatos chegam no dia da prova surpresos com o que está sendo cobrado, pelo simples fato de sequer, terem lido o edital do concurso. Se resumem aos requisitos do cargo e o valor da remuneração.

Em todo edital, sempre haverá a parte da legislação. Aqui já começamos a primeira distinção. Uma coisa diz respeito à legislação do concurso, comum a todos, por exemplo, a Lei 8112/90, a lei que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais.

Outra coisa é a legislação pertinente ao seu cargo, código de ética do jornalista, como exemplo. Naturalmente, será cobrado apenas ao referido cargo. Você há de concordar que quando estudamos algo que tem a ver com nossa função, a leitura flui. Você dialoga com a lei. Mas quando você tem que aprender termos “juridiquês”, ai a situação fica complicada.

Portanto, a primeira ação a se fazer é separar a legislação do seu edital, entre aquilo que é de conhecimento comum a todos os cargos, e aquilo que diz respeito apenas ao seu cargo.

Enumere tudo que for Lei, regimento, código, legislação correlata e afins do seu edital, desse modo, você consegue visualizar e melhor planejar como estudará cada tópico até o dia da sua prova.

2- Material para Estudar a Lei

Depois de cumprir as indicações do primeiro item, você se questiona: mas onde eu vou encontrar esse material todo para estudar? Primeiramente, cuidado. Sim, cuidado, porque sabemos que você vai jogar o número da lei na internet e baixar a primeira que encontrar. Isso é perigoso, pois que há um mundo de materiais gratuitos, mas nem sempre de qualidade e quando se trata de como estudar leis para concurso, o risco de você baixar algo desatualizado é maior ainda.

Logo, se o estudo é de lei seca, a referência que você precisa ter é o site do Planalto, aqui ficam reunidos todas as leis, decretos, etc. Aí é a sua fonte oficial. Naturalmente, haverá regimentos de órgãos que você não encontrará nesse endereço eletrônico, por se tratar de leis que regem determinada atuação de um órgão, dizendo respeito somente a ele. Nesses casos, você deverá acessa a página oficial do órgão para ter acesso ao regimento dele.

Este item dois é muito importante, pois com o material certo de estudo de leis você estará seguro do que encontrará na sua prova. Imagine que você em sua pesquisa pela lei que está no seu edital, baixou a primeira lei que olhou no site de busca. Essa lei já estava desatualizada, mas você não notou. Quando chegou o dia da prova, você não consegue aplicar o que estudou, com o que o examinador pediu. Vai ser frustrante.

Isso vale para materiais de cursos  presenciais, apostila de banca de revista/jornal, cursos on line. Ao adquirir tais materiais, tenha certeza de que eles estejam atualizados, de acordo com as normas vigentes exigidas em seu edital. O segredo de como estudar Leis para concurso depende muito da qualidade do material que você utilizar.

3 – Estude a lei, fazendo marcações e associações
Como estudar leis para concursos

Dentre os requisitos de como estudar Leis para concurso, está o uso de algumas técnicas de estudo. Você já sabe o que tem que ser estudado, separou as leis ou adquiriu um bom material. Perfeito. Agora é o momento de sentar e ler. A gente sabe que diferentemente de uma videoaula de um professor super didático, o estudo de leis para concurso vai exigir muito da sua concentração.

>>>Que tal conhecer sobre as principais técnicas que facilitam seu estudo para concursos, acesse aqui.

São 200 artigos para serem lembrados no dia do seu concurso. A primeira dica é: faça marcações. Mas não faça imediatamente. Pense comigo: você nunca leu a lei, e ao término da primeira frase que contém cinco linhas, você já marcou de amarelo quatro delas. Autossabotagem. A marcação de lei serve para facilitar a sua revisão no futuro. Vamos falar sobre revisão no item 5.

Mas como eu vou saber o que é importante e grifar de maneira correta? Você só sabe que determinada parte é importante, quando a compara com as demais. Quando o professor falou para você prestar atenção naquela parte X da lei. Quando você faz questões e percebe o alto índice de cobrança em prova. Você precisa ter critérios de marcação. E tais critérios têm como base essa sequência indicada.

Outra dica valiosa sobre como estudar Leis para concurso é fazendo a junção da lei seca com uma videoaula. Por exemplo, você está com a sua lei aberta, ao mesmo tempo que assisti a uma aula de um professor. A ideia é que o professor consiga esclarecer, contribuindo com uma leitura mais fácil da próxima vez que você for estudar. Vale também a aquisição de livros que explicam as leis. Mas certifique-se de que o autor tem respaldo para isso.

Um estudo de lei seca com um livro que a ajude interpretá-la é de grande valia, porque há bancas que cobram a literalidade da lei, e outras que preferem a parte interpretativa da lei aplicada a determinada situação. Portanto, fazer marcações e associações com outros materiais é de suma importância para o estudo da lei.

4- Resolver questões sobre Lei
como estudar leis para concurso

Sim, sem a prática de questões, a prova vai ser uma grande novidade para você. Na verdade, um presente de grego. Você precisa estudar a lei para fazer questões, é como um treinamento. Na resolução de questões, você vai poder perceber como a banca cobra essa parte do seu edital na prova.

Quando você começar a responder uma bateria de questões, você vai notar que existem bancas que cobram a literalidade da lei. De outro lado, existem as que cobram a aplicabilidade da lei, a sua interpretação. Nesse sentido, só a prática de resolução de questões é que vai deixar você pronto para o que aparecer. Mas claro, que quando o seu edital sair, aí você poderá ter um estudo voltado ao perfil da banca do seu concurso. Vamos exemplificar.

Veja essa questão da banca Cespe, do Concurso STJ 2015:

Com base na Lei de Acesso à Informação (Lei n.º 12.257/2011), julgue o item a seguir, a respeito das políticas de acesso aos documentos de arquivo. 

O acesso à informação é um preceito constitucional e foi regulamentado pela referida lei.

A resposta é Certo. Perceba que a banca cobrou uma associação entre a Lei de Acesso à Informação com uma previsão constitucional, constante no Art. 5º e no Art. 216.

Vamos ver agora como cobra outra banca, a Fundação Carlos Chagas- FCC:

A Lei Federal nº 12.527/2011 destina-se a assegurar o direito fundamental de acesso à informação. No entanto, reservou um capítulo específico para regular as hipóteses de restrição de acesso à informação e os respectivos procedimentos. Nos termos desse capítulo específico da Lei de Acesso à Informação:

a) o prazo máximo de restrição de acesso à informação classificada como reservada será de 10 (dez) anos, a partir da data de sua produção.
b) o prazo máximo de restrição de acesso à informação classificada como ultrassecreta será de 30 (trinta) anos, a partir da data de sua produção.
c) as informações ou documentos que versem sobre condutas que impliquem violação dos direitos humanos poderão ser objeto de restrição de acesso mediante decisão conjunta do Presidente da república e do Presidente do Congresso Nacional.
d) o prazo máximo de restrição de acesso à informação classificada como secreta será de 15 (quinze) anos, a partir da data de sua produção.
e) a classificação do sigilo de informação no grau de ultrassecreto, no âmbito da Administração Pública Federal, é de competência exclusiva do Presidente da República e do Presidente do Congresso Nacional.
E aí, qual a resposta, concurseiro?
Letra D) Certa. O prazo máximo para informação secreta será de 15 anos. art. 24, par. 1, inciso II, da Lei de acesso à informação.
Perceba que a banca exige que o candidato saiba os prazos dos documentos sigilosos da Administração Pública. Fique atento ao perfil da banca do seu concurso.

5- Revisão da Lei
Como estudar leis para concursos

Se depois de todas essas dicas de como estudar Leis para concurso, você não revisar o seu material grifado, não revisar as questões que errou, seus resumos, nada adiantará.

A parte da revisão é imprescindível para que todo seu esforço em estudar esse item do edital não se perca entre tantos outros que você estudou. Depois que você encerrar a parte de estudo da lei do seu edital, lembre-se de voltar em suas marcações, mapas mentais, resumos. Só a revisão é que fará com que seu estudo da lei/legislação fique fixado em sua memória até o dia da prova.

Por hoje é só, concurseiro/a. Espero que você tenha gostado deste artigo sobre os como estudar Leis para concurso. Compartilhe esse artigo com algum amigo que precisa aprender de uma vez por todas como estudar leis.

E se você está pensando em passar em um concurso bom e ganhar estabilidade, que tal você conhecer todos os nossos cursos que nós temos aqui no Estúdio Aulas e aprender com os melhores professores?

>>>Clique aqui e conheça todos os nossos cursos para concursos.

Jornalista Soraia Cantanhede

Receba por e-mail EM PRIMEIRA MÃO notícias, editais e inscrições para concursos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.