QUEM QUER SER APROVADO NÃO COMETE ESSES ERROS!

Todo concurseiro já sabe: a preparação é peça fundamental no quebra-cabeças da aprovação em concursos públicos. São vários os elementos que devem ser observados por aqueles que almejam essa conquista. Entre eles estão o foco nos estudos, determinação e organização. Todavia, pouco é mencionado pelos especialistas quais erros devem ser evitados, a todo custo, por quem se propõe a ingressar nessa empreitada.

Para ajudá-lo a fugir das armadilhas que levam à reprovação, listarei a seguir sete dos erros a serem evitados por você enquanto se prepara para concursos.

  1. Procrastinar, deixar para depois

Você é adepto do famoso dito popular “Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”? Adiar e deixar para amanhã é de fato uma atitude que, fatalmente, pode se tornar um péssimo hábito, capaz de destruir as possibilidades de qualquer candidato.

Quem deseja ser aprovado assume uma rotina baseada em um planejamento que o guiará em seus estudos. Dessa feita, é necessário seguir rigorosamente o que fora planejado. Assim, o interessado evita que outras atividades fora da rotina “furtem” o tempo exclusivamente separado para estudar. Aqueles que trabalham devem encarar os estudos como se fossem seu segundo emprego.

  1. Desconhecer a banca

Quer dar um passo direto à reprovação? Basta desconhecer a banca organizadora do concurso que você prestará. E mais: não saber qual é o perfil da instituição que organiza o certame comprometerá muito seus estudos.

O fato é que cada banca possui um modo peculiar de elaborar e cobrar suas questões.  Há bancas que, por exemplo, acabam se concentrando no texto da lei. Outras, em contrapartida, atêm-se aos autores e doutrinas, enquanto existem aquelas que enfatizam a jurisprudência.

Outro ponto fundamental são as provas orais. Nelas, o conhecimento técnico e prático é posto à prova pelos avaliadores. Eles inquirem os candidatos com questionamentos referentes aos títulos apresentados (graduação, pós-graduação, especialização, mestrado ou doutorado). É preciso conhecer a forma de atuação de cada banca organizadora para não ser surpreendido.

  1. Não fazer fichamentos

Por que fazer fichamentos é importante? Ler e grifar textos teóricos ajudam a decorar, mas reescrever com suas palavras os pontos fundamentais de determinado assunto e fichá-los em destaque ajudam na assimilação do que se leu. E mais: o resumo da matéria poderá ser consultado em outras ocasiões, otimizando, dessa forma, sua preparação, já que redunda em economia de tempo. Não baixe da internet fichamentos prontos. Utilize os seus, pois neles constam sua compreensão do assunto.

  1. Não ler o edital e conhecer seus pontos fundamentais

Você está por dentro do edital do concurso que está prestes a fazer? Ainda que se trate de certames para o mesmo órgão, o novo edital pode ser muito diferente em relação ao do concurso anterior ou ter apenas pequenas alterações. Por isso, é fundamental ler criteriosamente o edital para que o plano de estudos seja elaborado mais objetivamente.

  1. Não testar seus conhecimentos com provas anteriores e simulados

Você realmente está preparado para a prova? Uma das maneiras mais efetivas de preparação é testar seus conhecimentos. E isso é possível tendo a disposição de resolver provas anteriores e simulados diversos. É um excelente treino, pois apura o que já fora aprendido e impede que o candidato seja surpreendido com enunciados criados para confundir os desatentos e despreparados. Além disso, essa prática reforça e amplia o conhecimento do assunto já assimilado.

  1. Abolir completamente os momentos de descanso e lazer

Você está cuidando da sua saúde? Assim como o corpo, a mente também se cansa. E uma vez cansada, ela cobrará por descanso, um alívio que seja. Os momentos de lazer e descontração promovem refrigério mental e psicológico, tirando de sobre o concurseiro o peso da cobrança alheia e daquela que parte de si mesmo.

A mente descansada e revigorada o ajudará na assimilação e na memorização de pontos-chave do conteúdo a ser estudado.

  1. Acreditar em tudo o que é dito em grupos de discussão sobre as provas

A quem você está dando ouvidos? Nunca todos erram ou acertam a mesma questão. O tópico que para você foi difícil pode sim ser muito fácil para outro candidato. É comum candidatos errarem naquilo que você acertou e vice-versa. Para fugir dessa armadilha que pode levá-lo ao desânimo, basta ao concurseiro focar em sua preparação, a fim de estar pronto para os desafios do concurso.

Receba por e-mail EM PRIMEIRA MÃO notícias, editais e inscrições para concursos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.